quarta-feira, julho 02, 2008


Bafo de cachaça

Jolivaldo Freitas

 

 O Ministério da Justiça está muito preocupado com os altos índices de acidente de carros nas estradas. Uma atitude louvável do governo. Tanto que decidiu radicalizar na questão do consumo de bebida alcoólica. Durante os festejos juninos, que na realidade só acaba depois de São Pedro, decidiu orientar a Polícia Rodoviária Federal a coibir o uso, aplicando multas para aqueles que tinham bafo de onça, mesmo que tenha bebido uma mísera cerveja num dos milhares de postos de gasolina ou barracas na beira das rodovias.

     Mesmo assim, somente na Bahia foram mais de 40 acidentes com 10 mortos e mais de 70 feridos apenas nas rodovias federais. Alguns bêbados, outros sonolentos, mas a maioria vítima do estado em que se encontram as estradas. São verdadeiras esparrelas, onde é preciso contar com muita sorte, destreza e atenção mais que redobrada para não cair nas ciladas que cada quilômetro rodado conceitua.

     São muitos os mortos nas estradas mal conservadas. Por exemplo, quem vai de Salvador a Feira de Santana, menos de 110 quilômetros da BR 324, sabe que está correndo risco de vida. Muitos trechos não possuem acostamento ou eles estão em situação irregular. O mato toma conta do canteiro central ou das laterais e ninguém sabe o que vem pela frente. A sinalização é deficiente e o motorista necessita, muitas das vezes, adivinhar para onde ir, principalmente nos desvios e nas rótulas que dão acesso a estradas vicinais ou para entrar em outra rodovia.

    Todo mundo sabe, inclusive a Polícia Rodoviária e o pessoal do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transporte  que deveria cuidar da estrutura das estradas, que na Jaqueira do Carneiro, já dentro de Salvador, para citar um outro exemplo drástico, o piso irregular é determinante para que os veículos derrapem, rodem e caiam no outro lado da pista. O assunto é comentado e denunciado há anos e até hoje nada foi feito. E continua morrendo gente.

    Não são apenas as estradas federais que estão matando as pessoas. Na BA-093, que vem de Dias D´ávila para Salvador, passando por Camaçari, onde o trânsito de caminhões é intenso, o governo mandou colocar grandes placas avisando que a estrada tem alto índice de acidentes e manda o motorista tomar cuidado. Como se apenas o motorista fosse irresponsável. O que devia fazer antes de chamar o motorista de imbecil era consertar os buracos, os aclives, os declives e mandar sinalizar. Se quisesse ter também o trabalho de mandar cortar o mato que toma conta das rótulas, notadamente quando está próximo a Simões Filho, seria melhor ainda.

     Na realidade, enquadrar um motorista bêbado – na Bahia foram flagrados perto de 150 casos – é justo e precisa ser aplaudido. Mas, os governantes deveriam também ser punidos, pois cada morte em função de um buraco, falta de placas e acostamentos, é culpa também deles. Não adianta ficar apenas no bafômetro, que em muitos casos vai servir apenas para inflacionar a "cervejinha".

______________________________________________________________________

1 Comments:

At 10:27 AM, Anonymous Claudio said...

Valeu Val, acertaste na mosca, só no nosso?

 

Postar um comentário

<< Home