quinta-feira, fevereiro 28, 2008


PRAIA 24 HORAS - TROPICALISMO

Numa homenagem ao mais baiano e revolucionário dos movimentos musicais brasileiros - o Tropicalismo, que completa 40 anos - Gal Costa, Tom Zé, Jorge Mautner, Galvão, Paulinho Boca de Cantor e Tuzé de Abreu, prometem uma apresentação apoteótica, num palco montado no mar, da praia do Porto da Barra. O cenário é belo e histórico.  

Os shows fazem parte da programação do Projeto Praia 24 Horas, promovido pela Secretaria de Turismo e Bahiatursa, que acontece neste sábado, 1º de março, pela 3ª vez, de graça. Outros artistas como Aderbal Duarte, Jota Veloso, Luciano Bahia, Mariela Santiago, Gazineu, Paulo Levita e Palmyra também integram a grade da programação.

O projeto também irá homenagear ícones da Tropicália, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Wally Salomão, José Carlos Capinan e o cineasta, Gláuber Rocha.

 

NA RUA

As atividades começam às 8 horas da manhã, na praia, com práticas esportivas de peteca, vôlei, frescobol, futevôlei, capoeira e ginástica.

 A partir das 18h, no Forte de Santa Maria, os artistas plásticos se reúnem num espaço democrático - Praça das Artes- verdadeiro museu a céu aberto, onde famosos pintores baianos, e de outras localidades, aproveitam o cenário inspirador para criar obras que serão leiloadas posteriormente. O dinheiro arrecadado será doado às Voluntárias Sociais da Bahia.  O local é democrático porque as telas, tintas e pincéis são fornecidos, de graça, pelo governo com a finalidade de promover a arte.

Na praça do Forte de Santa Maria, também ficam a feirinha de artesanato e o cinema livre da Petrobras, que exibirá vídeos sobre a tropicália e filmes de  Gláuber Rocha

Próximo ao Instituto Mauá, está localizada a feira gastronômica, onde são vendidas diversas comidas típicas da Bahia.  Como parte da programação no próximo dia primeiro de março, será conhecido o caldinho vencedor, do concurso lançado pela Bahiatursa, onde participam 8 restaurantes do Porto da Barra.

A partir das 19 horas, o público poderá acompanhar ao cortejo do grupo musical Paroano Sai Milhó e às performances do teatro Filó.

A capoeira e a orquestra de berimbau do Projeto Axé completam a programação de rua.

 

CAPINAN E O TROPICALISMO

 

O movimento tropicalista, genuinamente brasileiro, teve início entre os anos de 1967 e 1968, visando romper com os paradigmas da época da ditadura, em busca de uma maior liberdade de expressão. O tropicalismo mudou o rumo da música e da cultura brasileira, que se modernizaram. O movimento teve na Bahia nomes importantes, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Tom Zé, José Carlos Capinan e Gláuber Rocha, e foi responsável pela inclusão do Cinema Novo no Brasil. Na música houve ainda a união de informações da vanguarda erudita através dos inovadores arranjos de maestros como Rogério Duprat, Júlio Medaglia e Damiano Cozzela, que aliaram o popular, ao pop e ao experimentalismo estético, que veio com o estilo hippie - caracterizado pelos cabelos longos e encaracolados - e pelas roupas  coloridas.

O Tropicalismo misturou ritmos como  rock,  bossa nova,  samba, baião, e o pop, dentre outros, que culminou na obra coletiva Tropicália ou Panis et Circensis, considerado como um marco da época.

Para um dos homenageados da noite, o compositor baiano, José Carlos Capinan, a Tropicália  teve forte influência da música popular brasileira e da música internacional: "foi um movimento que teve rebeldia e ampliou as possibilidades de fazer cultura brasileira, mexendo com os valores das pessoas. Foi uma mudança de padrões", relatou o compositor. Para o tropicalista Capinan, o momento era de rompimento com a mesmice, era um novo que incomodava. Segundo ele a Tropicália foi muito importante, pois permitiu que os brasileiros se libertassem no que diz respeito à criação e teve uma participação muito forte da Bahia, através dos artistas que fizeram parte do Tropicalismo. "O movimento tem uma característica muito baiana, uma hegemonia e uma linguagem baianas, há uma antecipação dessa matriz pulsando no samba, nos grandes intérpretes, compositores e organizadores. A Bahia tem uma marca muito forte na transição do Brasil imperial para o Brasil de uma república popular", concluiu. 

Sobre a homenagem da Secretaria de Turismo e da Bahiatursa à Tropicália, Capinan opinou: "é uma idéia muito inteligente, democrática e esperta! Provavelmente vai dar certo, pois espichar o verão e não colocar axé na grade é muito corajoso. As pessoas gostam e isso mostra a nossa diversidade musical. Um projeto como esse é de extrema importância para o resgate da nossa cultura, conclui Capinan".

 

PRAIA 24 HORAS

 

A presidente da Bahiatursa, Emília Salvador Silva, já comemora a vitória do Praia 24 horas e acredita que o evento contribuiu para a permanência do turista na cidade. "Neste sábado estaremos realizando uma pesquisa por amostragem, para verificar os impactos econômicos que o projeto casou no setor do turismo, como o aumento da ocupação hoteleira e do número de vôos, o perfil do turista e se o evento pode se tornar um atrativo no calendário turístico da cidade", explicou a presidente.

O primeiro Praia 24 horas, no sábado dia 16 de fevereiro, homenageou os baianos Caymmi e Jorge Amado, o do sábado  passado, homenageou a bossa nova. Mais de vinte mil pessoas assistiram às apresentações.  

 

 

Veja a programação deste próximo sábado:

 

PRAIA 24 HORAS - PROGRAMAÇÃO 1° de março

HOMENAGEM AOS 40 ANOS TROPICÁLIA

 

Apresentação: Caco Monteiro

ATRAÇÕES MUSICAIS

Horário

Atração

18h

Galvão e Paulinho Boca de Cantor

19h

Jota Velloso e Jorge Mautner

20h

Intervalo: animação grupos de rua

20:30

Convidada especial: Gal Costa

22h

Tom Zé

23h

Mariela Santiago

23h50

Tuzé de Abreu

00h40

Lula Gazineu

01h30

Paulo Levita e Palmyra

02h20

Aderbal Duarte

 

OUTRAS ATIVIDADES

Horário

Atividade

08h-18h

Atividades esportivas, campanhas educativas, reciclagem

18h

Orquestra de berimbaus e capoeira do Projeto Axé

18h

Praça das artes: pintura temática por artistas plásticos

18h-06h

Feira gastronômica, feira de artesanato

18h30

Maestro Reginaldo e banda Xangô

19h

Banda Paroano Sai Milhó

19:30-20:30

Teatro de rua: grupo Filó

21h

Cinema livre Petrobras - exibição de filmes sobre Tropicália

22h

Grupo Filó - segunda apresentação

18h-06h

Passeios de barco

05h

Atividades esportivas, ginástica na praia (domingo)

06h

Café da manhã (domingo)

 

______________________________________________________________________

1 Comments:

At 9:52 AM, Anonymous Marcus Cavalcante said...

Senti falta de homenagem para Torquato Neto, o mais baiano dos piauienses. Bom, mas deixa prá lá o importante é que dediquei muito tempo de prazer em vasgulhar teu blog. Um grande abraço. visite-me: mcavalcante.blogspot.com

 

Postar um comentário

<< Home